segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Brincando com cirandas e com corações.


A Original

"João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.(...)
"

Algumas outras cirandas:

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que amava João que amava Teresa que amava Raimundo...

-

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava a si mesma.

-

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que só amava a si mesma.

-

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Todo Mundo

-

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que tinha medo de amar, por isso ficou sozinha.

-

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que ficou com Joaquim, fez ele de bobo e sumiu do mapa.

-

João amava Teresa que deixou de amar João
a quem Maria ainda amava, mesmo amando Joaquim que amava muito Lili
que por não amar ninguém foi a única que saiu dessa história sem se machucar
e sem viver também.

(Sorte dela.)

sábado, 27 de março de 2010

MulherMola (ou desenho gestual modelado)

"A forma orgânica sugere crescimento."
"A forma orgânica, mesmo parada, sempre está dinâmica."
"A deformação faz parte do processo."
Aula do Prof. Latorre
pena e nanquim sobre canson A3

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Esperança


Ontem tinha uma esperança na parede.
E eu acho que quando aparece uma pra gente,
a gente tem que dar um jeito de guardar.
Guardar mesmo que for só em uma fotografia,
(de resolução ruim porque é do celular).
Mesmo que for só uma espeança-inseto,
"concreta e verde" como disse a Clarice.

Ela disse outras coisas também,
quem quiser ouvir o texto inteiro pode assistir esse
vídeo:



Mas se vc está com pressa, então fique só com essas frases:

Esperança é coisa secreta e costuma pousar em mim sem ninguém saber
(...)

Ela se esqueceu de que pode voar

(...)

Você faz o favor de facilitar o caminho da esperança?




Se eu fosse tolo o suficiente pra achar que o que estava
na parede era um simples inseto,
eu não teria entendido o recado.
Por sorte, eu entendi.

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Where The Wild Things Are


Acho que é um dos filmes mais bonitos que eu já vi.
Fala de coisas selvagens, e de onde elas estão,
elas estão mais perto do que a gente admite.
-
A gente acha que pode criar uma coisa nossa, do nosso jeito,
e que tudo vai dar certo e funcionar do jeito que a gente quer.
Mas o afeto complica tudo.
Relacionar-se, as relações, o outro.
A alteridade sempre vai se opor a nossa utopia,
E essa alteridade também é parte de nós.
-
É que dentro da gente tem tudo,
e tudo precisa encontrar um jeito de existir.
E algumas coisas, se elas não encontram um jeito bom de existir, elas ficam monstruosas.
-
O medo vira raiva.
A vontade de criar vira destruição.
O amor vira...
...vira alguma coisa selvagem que não tem nome,
uma coisa desesperada e assustadora,
uma coisa que grita, corre, pula, devora...
tipo um monstro.
Mas mesmo os monstros precisam de um lugar pra existir,
eu acho que a gente tem muita sorte de existirem coisas como arte e a literatura,
são bons lugares para existirem os monstros,
e acho que eles ficam felizes de poderem existir,
mesmo que seja num livro, num poema ou num desenho.

sábado, 6 de fevereiro de 2010

...


Fiz esse desenho ontem, num guardanapo, na hora do jantar.
Acho que por causa da demora...
...
...
...
...do sanduíche.
Às vezes, o vazio faz a gente criar as nossas próprias respostas
(E nem sempre elas condizem com a verdade)
O bom da arte é que a gente inveta as nossas verdades.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010