sábado, 13 de fevereiro de 2010

Where The Wild Things Are


Acho que é um dos filmes mais bonitos que eu já vi.
Fala de coisas selvagens, e de onde elas estão,
elas estão mais perto do que a gente admite.
-
A gente acha que pode criar uma coisa nossa, do nosso jeito,
e que tudo vai dar certo e funcionar do jeito que a gente quer.
Mas o afeto complica tudo.
Relacionar-se, as relações, o outro.
A alteridade sempre vai se opor a nossa utopia,
E essa alteridade também é parte de nós.
-
É que dentro da gente tem tudo,
e tudo precisa encontrar um jeito de existir.
E algumas coisas, se elas não encontram um jeito bom de existir, elas ficam monstruosas.
-
O medo vira raiva.
A vontade de criar vira destruição.
O amor vira...
...vira alguma coisa selvagem que não tem nome,
uma coisa desesperada e assustadora,
uma coisa que grita, corre, pula, devora...
tipo um monstro.
Mas mesmo os monstros precisam de um lugar pra existir,
eu acho que a gente tem muita sorte de existirem coisas como arte e a literatura,
são bons lugares para existirem os monstros,
e acho que eles ficam felizes de poderem existir,
mesmo que seja num livro, num poema ou num desenho.

6 comentários:

orangehamster disse...

ah, simsim, esse filme é coisa linda da lasagna! meu, chorei tanto de felicidade quanto de tristeza ao longo do filme, meu, é um filme que tem tantos níveis e tanta complexidade que emociona!
e a trilha sonora é um babado muito lindo, meo, karen o e artistas convidados ftw!

Reds disse...

Verdade! A trilha sonora é linda!!!

Priscyla disse...

achei tão lindo ler isso aquele dia. que vez ou outra volto aqui paraver o desenho e ler novamente.

um acalanto


beijos

Carla Francine disse...

adoro suas construções imagéticas. adoro

Weberson Santiago disse...

Opa, só li o livro, quero assistir o filme.

Flor Juliete disse...

Adorei!
Faltam monstros neste mundo...